Quando ainda não existia a palavra: M – o vampiro de Dusseldorf (1931)

Nilda Alves, Noale Toja

Resumo


Este trabalho provoca a pensar acerca dos processos educativos a partir do envolvimento do cinema como um dispositivo que compõe as redes educativas de docentes e discentes, nos projetos de pesquisa “Redes educativas, fluxos culturais e trabalho docente – o caso do cinema, suas imagens e sons” (2012-2017) e “Processos curriculares e movimentos migratórios: os modos como questões sociais se transformam em questões curriculares nas escolas” (2017-2022), desenvolvidos com a criação de cineclubes, esses ‘praticantespensantes’ das escolas em alguns municípios do Rio de Janeiro. Esses projetos têm como objetivos: identificar os mundos culturais dos docentes, bem como os modos como questões sociais graves entram nos currículos escolares. O filme em torno do qual se trabalha neste artigo é M - o vampiro de Dusseldorf (1931), do diretor alemão Fritz Lang, exibido em encontros dos cineclubes. Um filme provocativo, inovador para sua época, coloca questões acerca da presença do desvio social em contextos cotidianos e os modos como agem ou podem agir autoridades públicas e ‘praticantespensantes’ de cotidianos quanto a esta questão.

Palavras-chave


redes educativas; cineclube; currículos

Texto completo:

PDF

Referências


CERTEAU, M. A invenção do cotidiano – a arte do fazer. Petrópolis: Vozes, 2017.

LANG, F. (Diretor). M, o vampiro de Dusseldorf. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2018.

MOURA, Fernando. Trilhas sonoras – entre o mundo encantado e a vida real. Rio de Janeiro: Música & Tecnologias, 2017.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículos e pesquisas com os cotidianos: o caráter emancipatório dos currículos ‘pensadospraticados’ pelos ‘praticantespensantes’ dos cotidianos das escolas. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães (Org.). Currículos, pesquisas, conhecimentos e produção de subjetividades. Petrópolis: DP et Alli, 2012. p. 47-70.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X