O “materialismo cultural” de Raymond Williams a partir da história intelectual: caminhos e possibilidades

Carla Baute

Resumo


Esse artigo discutirá alguns aspectos de uma pesquisa de mestrado em andamento. Trata-se de um trabalho que privilegia o estudo da teoria cultural do pensador galês Raymond Williams, o Materialismo Cultural, e o modo como ele se desenvolveu em importantes obras teóricas de diferentes momentos de sua trajetória intelectual. Busca-se no texto dialogar com o contexto de produção dessa teoria na segunda metade do século XX. A relevância dessa empreitada reside na tentativa de inter-relacionar um rigoroso estudo teórico com uma análise do contexto histórico, utilizando metodologia de caráter interdisciplinar – como é de praxe na área da história intelectual – advinda da Sociologia da Cultura e da Teoria Cultural, respectivamente o uso do conceito de campo de Pierre Bourdieu e de estrutura de sentimento, do próprio Williams. No que diz respeito à contribuição específica advinda da prática historiográfica, ressalta-se a ênfase na relação dialética entre obra e vida, sem privilegiar somente a obra – vendo-a somente como um reflexo do contexto –, nem exclusivamente o contexto, entendido como simples plano de fundo.


Palavras-chave


História Intelectual; Materialismo Cultural; Raymond Williams; Teoria da História

Texto completo:

PDF

Referências


Richard Burton Archives - RBA

WWE/2/1/9/2/6 – Resenhas de Victor Kiernan (publicada no The New Reasoner, no verão de 1958) e resenha de Graham Martin (publicada no Universities and Left Review, no verão de 1958).

WWE/2/1/7/3/4 – Entrevista por Beatriz Sarlo, de título: “Raymond Williams y Richard Hoggart: sobre cultura y sociedade”, Revista Punto de Vista, ano 2, número 6, julho de 1979.

Obras

BOURDIEU, Pierre. Campo intelectual e projeto criador. In: POUILLON, Jean (Org.). Problemas do estruturalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1968, p. 105-145.

______. Algumas propriedades dos campos. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de século, 2006.

______. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996.

______. As regras da Arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Cia das Letras, 2002.

CEVASCO, Maria E. Para ler Raymond Williams. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

EAGLETON, Terry. Criticism and ideology: a study in Marxist Literary Theory. London: Verso, 1976.

______. Resources for a journey of Hope: significance of Raymond Williams. New Left Review, n. 168, mar./abr. 1988, p. 3-11.

ESCOSTEGUY, Ana C. D. Uma introdução aos Estudos Culturais. Revista Famecos, n. 9, dez. 1998, p. 87-97.

GARNHAM, Nicholas; WILLIAMS, Raymond. Pierre Bourdieu and the sociology of culture: an introduction. Media, Culture and Society, v. 2, n. 3, 1980, p. 209-223.

HALL, Stuart. Politics and Letters. In: EAGLETON, T. (Org.) Raymond Williams: critical perspectives. Cambridge: Polity Press, 1989, p. 54-66.

LOVEJOY, Arthur. The Great Chain of Being: a study of the history of an idea. Cambridge (EUA): Harvard Univ. Press, 1936.

MEYERS, Jorge. Músicas distantes. Algumas notas sobre a História Intelectual hoje: horizontes velhos e novos, perspectivas que se abrem. In: NORONHA DE SÁ, M. E. (Org.). História Intelectual Latino-Americana: Itinerários, debates e pesquisas. Rio de Janeiro: Ed. PUC Rio, 2016. p. 23-55.

MILNER, Andrew. Re-imagining Cultural Studies: the promise of Cultural Materialism. London: Sage, 2002.

MULHERN, Francis. The moment of Scrutiny. London: Verso, 1979;

PASSIANI, Enio. Afinidades seletivas: uma comparação entre as sociologias da literatura de P. Bourdieu e R. Williams. Estudos de Sociologia, v. 14, n. 27, 2009, p. 285-299.

SHASHIDHAR, R. Culture and Society: an introduction to Raymond Williams. Social Scientist, v. 25, n. 5/6, 1997, p. 33-53.

THOMPSON, E. P. The Long Revolution – Part I. New Left Review, n. 9, maio-jun. 1961, p. 24-33.

WILLIAMS, Raymond. The Bloomsbury Fraction. In: ______. Culture and materialism. London: Verso Books, 1980, p. 148-169.

______. Culture and Society: 1780-1950. New York: Anchor Books/Columbia University Press, 1963.

______. The Long Revolution. Harmondsworth: Penguin Books, 1961, p. 19-144.

______. Marxism and literature. London: Oxford University Press, 1984.

______. Notes on Marxism in Britain since 1945. New Left Review, I/100, nov./dez. 1976, p. 81-94.

______. Politics and Letters: interviews with New Left Review. London: Verso, 1979.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X