A apropriação da cultura escrita em crianças do ensino fundamental: um estudo com a cultura e a literatura infantil indígena

Maria da Luz Lima Sales, Ângela Balça

Resumo


A situação vivida pelos indígenas brasileiros impulsionou-nos à problemática desta investigação: promover a empatia e a cultura escrita em crianças do ensino fundamental, recorrendo à literatura infantil indígena. Os objetivos do estudo eram: conhecer concepções e atitudes dos alunos relativamente aos indígenas; orientar uma intervenção pedagógico-didática, apoiada na literatura infantil indígena, que ajudasse a modificar concepções e atitudes de natureza discriminatória; analisar em que medida essa intervenção serviu para aprofundar o conhecimento dos alunos acerca da cultura indígena, promovendo a apropriação da cultura escrita. Optou-se por um estudo qualitativo, numa aproximação à metodologia da design research. Como instrumentos de recolha de dados, elegeu-se a entrevista, a observação e as notas de campo. A amostra era constituída por uma turma do ensino fundamental de uma escola urbana do estado do Pará, Brasil. Os resultados da investigação apontaram para uma identificação, receptividade e entusiasmo das crianças à cultura e à literatura indígenas.


Palavras-chave


Escola; leitura; cultura e literatura infantil indígena

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Tradução de W. L. Maar. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2000.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Tradução de P. Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BHABHA, H. O local da cultura. Tradução de M. Ávila, E. L. Reis, G. R. Gonçalves. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

BRASIL. Lei n. 11645/2008, de 10 de março de 2008. Altera a Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n. 10639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 11/3/2008, Seção 1, p. 1.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da Modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2015.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: Candido, A. Vários Escritos. São Paulo, Brasil: Duas Cidades, 2004. p. 169-191.

Drobniewski, H. M. La educabilidad de las emociones y su importancia para el desarrollo de un ethos democrático: La teoría de las emociones de Martha Nussbaum y su expansión a través del concepto de autorreflexión. Valencia: Universidad de Valencia, 2012.

Freire, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1987.

Freire, P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

Freitas Junior, J.; Machado, L.; Klein, A.; Freitas, A. Design Research: Aplicações práticas e lições aprendidas. Revista de Administração FACES Journal, Belo Horizonte, MG, v. 14, n. 1, jan./mar. 2015, p. 95-116. Disponível em: http://www.fumec.br/revistas/facesp/article/view/1999. Acesso em: 05 set. 2019.

Koepke, H. A criança aos 9 anos: a queda do paraíso. Tradução de C. T. Bottura. São Paulo: Antroposófica, 2014.

Lobo, I. T. Coordenadas teóricas y contextuales de la educación literaria ante el desafio intercultural. In: Lobo, I. T. (Org.). Leer la Interculturalidad. Santander: Universidad de Cantabria, 2008. p. 38-87.

Morgado, M.; Pires, M. N. Educação Intercultural e Literatura Infantil: vivemos num mundo sem esconderijos. Lisboa: Colibri, 2010.

Nussbaum, M. C. El cultivo de la humanidad: una defensa clásica de la reforma en la educación liberal. Barcelona: Paidós, 2005.

Nussbaum, M. C. Sem fins lucrativos: por que a democracia precisa das humanidades. Tradução de F. Santos. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

Sales, M. L. A literatura infantil indígena como meio de promoção da educação multicultural. A intervenção didática em uma escola de Belém (Brasil). 2019. Tese (Doutoramento em Ciências da Educação) – Instituto de Investigação e Formação Avançada, Universidade de Évora, Évora, 2019.

Sebastián, R. G.; Gutiérrez, B. R. Aproximaciones y propuestas para una didática de los valores a través de las lecturas literarias. In: Lobo, I. T. (Org.). Leer la Interculturalidad. Santander: Universidad de Cantabria, 2008. p. 88-113

Tolstói, L. Contos da nova cartilha: primeiro livro de leitura. Cotia: Ateliê Editorial, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972a2020v38n78p51-65

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X
DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972

Licença Creative Commons