Uma discussão sobre a produção de sentidos na leitura: entre Bakhtin e Vygostsky

Juliana Ormastroni Carvalho Santos

Resumo


Este artigo, interessado em discutir o processo de produção de sentidos em atividades de leitura, apresenta preceitos teóricos de Bakhtin e Vygotsky, estudiosos que, embora não tenham se voltado especificamente à questão da leitura, oferecem embasamento para analisá-la enquanto processo histórica e ideologicamente situado. Para atingir esse objetivo, com base nesses estudiosos, a linguagem é enfocada como um evento social, caracterizada pela historicidade dos sujeitos e pelo contexto imediato e conjuntural, pela contradição e pelo dialogismo. Abordamos também a importância do papel do outro como elemento central na constituição dos sujeitos e de sentidos, seja nas interações sociais em que acontecem os enunciados e se estabelecem relações de zona de desenvolvimento proximal (zpd) ou no dialogismo e no caráter responsivo dos enunciados. Finalmente, apresentamos a leitura como um momento em que o sujeito-leitor resgata os sentidos já produzidos em outras situações e em que novos sentidos podem ser produzidos.

Palavras-chave


Sentidos; dialogismo e alteridade; zona de desenvolvimento proximal.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972a2014v32n62p75-86

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X
DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972

Licença Creative Commons