Vidas entrelaçadas: uma experiência intergeracional na educação não-formal

Selma Machado Simão, Elvira Cristina Martins Tassoni

Resumo


Este artigo baseia-se em uma experiência educacional realizada com sujeitos de diferentes faixas etárias, frequentadores de uma organização não-governamental, localizada em Campinas (SP). Essa experiência proporcionou vivências intergeracionais, apostando na ampliação do repertório cultural e na melhoria da autoestima dos participantes. A prática educacional relatada aproximou a leitura e as linguagens escrita e pictórica. Ela contou com dez oficinas com o objetivo de favorecer a imersão dos participantes nas dimensões da subjetividade, buscando criar ambientes propícios para o desenvolvimento de capacidades expressivas e afetivas que pudessem promover o envolvimento social intergeracional, o fortalecimento dos laços de pertencimento e a reconstrução da memória compartilhada. A experiência possibilitou a interface entre a cultura do adulto e a cultura da criança e do adolescente, evidenciando preferências estéticas, diferentes modos de pensar e conhecimentos de mundo, estreitando as fronteiras entre gerações e subvertendo as práticas educacionais tradicionais sedimentadas e esvaziadas de significação.

Palavras-chave


leitura; escrita; arte-educação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972a2015v33n65p151-169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X
DOI: https://doi.org/10.34112/2317-0972

Licença Creative Commons