A mente, essa ninguém pode escravizar: Maria Firmina dos Reis e a escrita feita por mulheres no Maranhão

Régia Agostinho da Silva

Resumo


Este artigo analisa duas obras de Maria Firmina dos Reis: o romance Úrsula (1859) e o conto “A escrava” (1887), em que a autora maranhense, nascida em São Luís, em 1825, discute a relação entre senhores e escravos, colocando -se como uma voz abolicionista no Maranhão do século XIX. Na análise dessas duas obras, procura -se também discutir a autoria feminina no Brasil ao longo do século XIX.


Palavras-chave


Literatura; história; escravidão; escrita feminina.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X