A narrativa de processos de formação e os ritos de passagem na literatura infantil e juvenil brasileira: o exemplo de O homem do violão quebrado

André Ming García

Resumo


No presente artigo, pretende-se salientar algumas características do que denominaremos “narrativas de processos de formação (e ritos de passagem)” na Literatura Infantil e Juvenil, em referência a obras que apresentam, malgrado suas semelhanças com os romances de viagem e de formação, determinadas características que lhes são próprias, da ordem de sua relativa brevidade e a relativamente pouca abrangência do período e quantidade de peripécias retratadas, o retrato da busca da personagem principal pela sua própria identidade e o desejo de tomar decisões, fazer-se ouvir e ser responsável pelos ditames de seu próprio caminho a tomar. Para tal, tomar-se-á como exemplo a narrativa O homem do violão quebrado, de Camilla Cerqueira Cesar, e serão sublinhadas as suas relações de intertexto com um clássico do gênero, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.


Palavras-chave


Literatura infantil e juvenil; literatura comparada; narrativa de processos de formação; Camilla Cerqueira Cesar; Helena Alexandrino.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Leitura: Teoria & PráticaAssociação de Leitura do Brasil (ALB)
e-ISSN: 2317-0972 - ISSN da edição impressa: 0102-387X